27.5 C
Brasília
quinta-feira, 22 fevereiro 2024 14:55

Ministro do TSE a Moraes “Missão dada é missão cumprida” em diplomação Lula

As mais lidas agora

PEC do estouro é protocolada no Senado

Após 13 dias de debate no Senado, a...

Temor a Deus

  "O temor do Senhor é o princípio da...

Casal é chicoteado e espancado por apoiar Bolsonaro

Tribunal do Crime cobra casal que fez campanha...

Mistério de Deus

QUERIDA MOCIDADE, QUERIDOS PASTORES: Assim diz a Santa...

Ao ser chamado pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, para conduzir o presidente da República eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, à mesa para diplomação, o ministro do TSE Benedito Gonçalves parou, abraçou Moraes e disse: “Missão dada é missão cumprida”.

A declaração foi uma quebra de protocolo na cerimônia desta segunda-feira (12/12). Em toda diplomação, dois ministros do TSE são chamados para conduzir o presidente eleito. Outros dois ministros acompanham o vice-presidente eleito até a mesa.

No caso de Lula, Alexandre de Moraes disse: “Solicito que suas excelências, o ministro Ricardo Lewandowski e o ministro Benedito Gonçalves, conduzam ao plenário o excelentíssimo presidente da República eleito, Luiz Inácio Lula da Silva”.

Lewandowski passou direto e foi cumprir o rito. Benedito, no entanto, parou ao lado de Moraes e fez o comentário: “Missão dada é missão cumprida”.

Nas redes sociais, a fala foi usada de maneira descontextualizada por bolsonaristas para criticar a Corte e a condução das eleições de 2022. Ao Diário Federal, o TSE negou quaquer irregularidade na cerimônia.


Benedito Gonçalves é ministro com uma série de ações importantes contra fake news e em processos que podem levar a inelegibilidade de Jair Bolsonaro (PL) dentro do TSE. O uso político da fala foi usado sempre em tom de associá-lo a Lula e acusá-lo de parcialidade.

 

- Publicidade -spot_img