Mortes por intervenção policial no RJ batem recorde e especialistas culpam Witzel e Bolsonaro




Do jornal O Dia:
O Estado do Rio registrou o recorde histórico de morte por intervenção policial no primeiro trimestre de 2019. Segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP), houve 434 vítimas entre 1º de janeiro e 31 de março. Essa quantidade é a maior registrada nos 22 anos de medição. Especialistas responsabilizam o governador Wilson Witzel e o presidente Jair Bolsonaro pelo aumento de casos.
“É uma política aberta de extermínio, de ‘bandido bom é bandido morto’, de sniper, o esperado era que aumentasse a letalidade policial. Como já estamos em um nível muito elevado, isso significa que estamos batendo recordes e vamos continuar assim. Isso é a consequência direta dessas políticas que são estimuladas pelos governos federal e estadual”, disse o sociólogo Ignacio Cano, coordenador do Laboratório de Análise da Violência (LAV), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).Ele ainda afirmou: “A polícia, em geral, é muito sensível ao comando político. Quando o comando político indica uma direção especial, com o uso da força, a polícia vai atrás. Se o governo é mais cauteloso, prudente, defende a legalidade, a polícia se contém. Se o governo abertamente instiga a morte de pessoas, o resultado é exatamente esse”.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário