Defensores afirmam que “desfile” com crianças é grave violação aos direitos humanos




Um desfile realizado com a parceria entre a Associação Mato-grossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (AMPARA) com a Comissão de Infância e Juventude (CIJ) da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT) e o Pantanal Shopping tem gerado uma onda de indignação nas redes sociais.

No evento, menores de 4 a 17 anos, em situação de adoção, são expostas em uma passarela, enquanto possíveis adotantes podem escolher qual a criança mais agrada ao seu gosto. O coordenador do MTST, Guilherme Boulos, usou sua conta no Twitter para criticar a ação.

Nota da Anadef

Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais (Anadef) vem, por meio desta nota, manifestar sua indignação e repulsa ao evento organizado pela Associação Matogrossense de Pesquisa e Apoio à Adoção (Ampara) e pela Comissão de Infância e Juventude da OAB do Mato Grosso, ocasião na qual crianças e jovens de 4 a 17 anos foram expostas em uma passarela de um shopping da capital do Mato Grosso por estarem “aptas” à adoção.
Para nós, defensores e defensoras federais, o ato representa grave violação aos direitos humanos ao tratar as crianças como um objeto de apreciação, podendo ocasionar graves efeitos psicológicos devido à exposição. Sabemos que, lamentavelmente, o processo de adoção no Brasil é bastante moroso e precisa ser aprimorado, mas é inaceitável qualquer ação que trate pessoas, de qualquer idade, raça ou religião, como uma mercadoria. Por fim, a Anadef repudia o ato e afirma seu papel na garantia dos direitos humanos e na defesa, em todos os graus, dos direitos individuais e coletivos, de forma integral e gratuita, aos prejudicados.

Fontes: DF1 com Brasil 247 e Anadef

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário