Lideranças do PSOL se reúnem amanhã em SP para definir estratégias de oposição à Bolsonaro




Presidente do partido, Juliano Medeiros

O PSOL reunirá seu Diretório Nacional em São Paulo neste sábado (25) e no domingo (26). Os dirigentes decidirão as ações do partido diante do aprofundamento das crises nacional e do governo Bolsonaro. O presidente do partido, Juliano Medeiros, adiantou que o PSOL não pretende pedir o impeachment do presidente Jair Bolsonaro e descartará opções articuladas sem a participação popular. “Nós vamos é ajudar os movimentos populares das ruas. Apostamos, por exemplo, nos protestos previstos para o próximo dia 30 e na greve unificada do dia 14 de junho. Não aceitaremos opções golpistas que estejam sendo engendradas no sentido de transferir poderes às velhas forças políticas”, afirmou.

Para o PSOL, as suspeitas criminais envolvendo o presidente e sua família, a depressão econômica, o desmonte de direitos e aumento da mobilização social não podem ser analisados sem se destacar o papel dos agentes militares, colocados em postos-chave no governo e na própria vice-presidência, com o general Hamilton Mourão. “Mesmo sendo alvo de pesados ataques do bolsonarismo, os militares têm dado retaguarda à abominável agenda econômica e jurídica do governo”, disse. O posicionamento dos militares motiva o partido a focar suas ações contra a retirada de direitos da população e pela mobilização popular independentemente das opções partidárias, segundo Medeiros.

Sobre a manifestação prevista para o domingo, de apoio a Bolsonaro, o PSOL avalia que, seja fracassada ou não, ela já cumpriu o papel de mostrar a divisão interna dos grupos de extrema direita que elegeram Bolsonaro, mas ainda serve como uma inaceitável declaração de guerra à democracia. “Pregar o fechamento do Congresso Nacional e do STF (Supremo Tribunal Federal) é o desejo do presidente, que só desistiu de participar porque sua presença caracterizaria francamente um crime de responsabilidade”, afirmou Medeiros.

Além da definição das estratégias de oposição e mobilização contra o bolsonarismo, o Diretório Nacional do PSOL começará também o debate sobre as eleições municipais de 2020. Devem participar dos debates no sábado Guilherme Boulos, do PSOL, Frente Povo Sem Medo e da Coordenação Nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), e vários parlamentares do partido. Na reunião também serão discutidos temas de estruturação interna do partido.

A reunião começa neste sábado, às 14h, e será retomada no domingo, 26, às 9h. O encerramento está previsto para as 14h do domingo. O evento será na Rua Araújo, 141, República, Centro de São Paulo (salões do Hotel Nobile Downtown). Profissionais de imprensa poderão se credenciar no local.

Serviço:

Reunião do Diretório Nacional do PSOL

Quando: 25, sábado, das 14h às 19h

26, das 9h às 14h

Onde: Rua Araújo, 141, República, Centro de São Paulo

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário