Julian Lemos disse que Expedito Netto poderia ter acabado no hospital




Expedito Netto estaria no hospital, por conta da minha estrutura física, disse Julian

O deputado federal Julian Lemos (PSL-PB), que nesta última quinta (30) deu uma cabeçada no seu colega de Câmara Expedito Netto (PSD-RO) é reincidente em agressão física. Ele é alvo de um processo na  1ª Vara de Cabedelo, na Paraíba, por lesão corporal leve, ameaça e violência doméstica.

Expedito Netto disse que vai denunciar o colega ao Conselho de Ética da Casa, que tem a prerrogativa de recomendar a cassação do mandato. Em 2018, Julian Lemos atuou como coordenador da campanha presidencial de Jair Bolsonaro no Nordeste.

Julian Lemos negou que tenha dado uma cabeçada no colega. “O cidadão puxou a minha camisa e me agrediu com palavras, reajo, mas não de forma agressiva. Aquilo é um grande teatro, e se eu fosse agredi-lo, ele não estaria no Conselho de Ética, e sim no hospital, por conta da minha estrutura física”, relatou.

Ao ser questionado se também iria levar o caso para o Conselho, o deputado negou. “Se ele tivesse me agredido, eu teria entrado no Conselho de Ética, mas ele apenas me provocou. Só entro se tiver processo por calúnia, mas não darei importância a isso”, declarou.

Nas redes sociais, o deputado Alexandre Frota (PSL), ao comentar o fato, perguntou se o deputado Expedito Netto vai responder, no Conselho de Ética da Câmara, pelas “agressões verbais recentemente dirigidas a deputada Geovania de Sá (PSDB-SC), quando disse, aos gritos, que ela era fraca e incompetente”. A deputada afirmou que também levará o caso ao Conselho de Ética.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário