Brasil mostra aos EUA sua força em alimentos especiais




Delegação  de  34 empresas brasileiras apresentará na Summer Fancy Food, em
Nova York, uma vasta gama de produtos com atributos saudáveis, sustentáveis e
naturais, como açaí, tapioca, mel, própolis, castanhas e cafés especiais
Brasília, 18 de junho de 2019 – Um Brasil com potencial exportador de alimentos
que vão muito além dos produtos de origem primária (commodities). Capaz de
produzir e entregar uma variedade de iguarias saudáveis, inovadoras, produzidas
em consonância com as melhores práticas de sustentabilidade e que podem compor
receitas da alta gastronomia mundial. Esse é o cardápio que 34 empresas
brasileiras apresentarão a compradores e potenciais parceiros estrangeiros em
um pavilhão de 315m² durante a Summer  Fancy Food Show, que ocorre em Nova
Iorque (Estados Unidos), de 23 a 25 de junho de 2019.
O evento é considerado a maior e mais importante feira comercial de alimentos
gourmet e especiarias, produtos regionais, orgânicos e naturais dos EUA e
reúne mais de 2,5 mil expositores de 54 países e 47 mil visitantes
qualificados (importadores, distribuidores, representantes de restaurantes e
serviços de alimentação). Com mais de 200 mil produtos alimentícios
especiais em exposição, a Summer Fancy Food é considerada uma grande vitrine
de lançamentos para os mercados americano e mundial.
Diversidade brasileira
Dentre os destaques de alimentos tipicamente brasileiros que a delegação
apresentará na Fancy  Food  estão  açaí, tapioca e castanhas. O leque de
produtos também inclui bebidas alcoólicas e não-alcoólicas, frutas,
vegetais, biscoitos, massas, pães, bolos, cereais, grãos, especiarias, doces,
balas, confeitos, produtos congelados, comidas naturais e saudáveis, mel,
própolis, chocolates, cafés especiais, polpas de frutas congeladas, panetones,
alimentos tradicionais (feijoada, carne seca, mandioca) embalados a vácuo e
condimentos orgânicos e sustentáveis.
A Apex-Brasil selecionou, dentre as 34 companhias que irão a Nova York, cinco
empresas para a categoria “Vitrine”. Sabor das Índias, Nugali, Vapza, Petruz e
Mister Bey foram escolhidas por uma banca curadora nacional e internacional para
promover os atributos de sustentabilidade, inovação, criatividade e
diversidade  brasileiros  no  universo  dos  alimentos.
A Apex-Brasil apoia a participação brasileira na feira desde 2017. “O Brasil
já está entre os líderes mundiais do agronegócio, com destaque para o café.
Na Summer Fancy Food queremos mostrar que podemos ser também grandes provedores
de diversos tipos de alimentos saudáveis e versáteis, como a tapioca e o
açaí, além de um exportador cada vez mais completo de chocolates e alimentos
gourmet”, diz Fernando Spohr, Gerente de Operações da Apex-Brasil na América
do Norte.
Números
Dados do relatório “State of the Specialty Food Industry”, produzido pela
Mintel e pela Specialty Food Association, organizadora da Summer Fancy Food
Show,  indicam  que  as  vendas  de  alimentos  especiais (specialty food) nos
EUA alcançaram US$ 140,3 bilhões em 2017, o que representa crescimento de 11%
em relação a 2015. Apenas no varejo, o crescimento foi de 12,9% (21% no
comércio eletrônico). Em comparação, as vendas de alimentos em geral no
varejo cresceram 1,4% no mesmo período.
Os fatores que potencializam o aumento da procura por alimentos especiais nos
EUA são a introdução de novos produtos e a maior disponibilidade desses
alimentos em varejistas maiores.
Alguns dados reforçam o potencial do Brasil como exportador de alimentos
especiais. A saber:

Em 2018, segundo dados do Comex Stat, o Brasil exportou US$ 3,8  milhões  de
tapioca  hidratada  e  é  o  quarto maior exportador mundial do NCM (190300).
Para os EUA exportamos US$ 1,34 milhão de tapioca em 2018.
As empresas que produzem pão de queijo e são apoiadas pela Apex-Brasil
exportaram US$ 5,08 milhões em 2018, sendo US$ 3,2 milhões para os EUA.
Segundo o Comex Stat, exportamos aproximadamente US$ 29,3 milhões de açaí em
2018, sendo US$ 20 milhões para os EUA.
Em termos de cachaça, segundo o Trade Map, exportamos U$$ 15,6 milhões em
2018, sendo US$ 3,1 milhões para os EUA.
O Trade Map também aponta que exportamos U$ 116,1 milhões em castanha de caju
em 2018, sendo US$ 54,07 milhões para os EUA. O Brasil é o 13 maior exportador
mundial do produto.
Ainda segundo o Trade Map, exportamos US$ 42,9 milhões em Castanha do Brasil em
2018, sendo US$ 11,8 milhões para os EUA. Nesse segmento, o Brasil é o 3 maior
exportador mundial.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*