Com a bíblia na mão, presidenta ordena morte à manifestantes na Bolívia




Policiais e militares enfrentam manifestantes em Chapare (./AFP)

Um violento confronto entre policiais e manifestantes pró-Evo Morales deixou cinco mortos na noite de sexta-feira 15 na Bolívia. O enfrentamento ocorreu perto da cidade de Cochabamba, na região central do país, e deixou 5 mortos e mais de vinte feridos. Militares e policiais tinham levantado um bloqueio na ponte Huayllani para evitar que os cocaleiros do Chapare, reduto de Evo, entrassem na cidade e, segundo as autoridades, os confrontos começaram quando os indígenas forçaram a passagem.

Do México, onde está asilado, o ex-presidente boliviano condenou a ação e pediu que as autoridades do país “parem o massacre”. “Denuncio ao mundo que o regime golpista que tomou o poder por assalto em minha querida Bolívia reprime com balas das Forças Armadas e da polícia o povo que pede pacificação e a reposição do estado de direito”, escreveu Evo em seu Twitter.

A auto proclamada presidenta da Bolívia, Jeanine Áñez, ao entrar no Palácio Quemado, sede do governo, fez questão de estar com uma Bíblia na mão e declarou: “A Bíblia volta ao palácio”. E as mortes estão se multiplicando pelo País. (DF1 com Veja)

4 Comentários

  1. O fascismo está no cio.
    Que o estado democrático de direito seja reestabelecido e que o império tire as mãos nefastas das riquezas bolivianas.

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*