Acompanhe os atletas do DF nos Jogos Olímpicos de Tóquio




A espera terminou. A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 ocorreu nesta sexta-feira (23) e iniciou, oficialmente, a corrida brasileira em busca de pódios. Enquanto as primeiras partidas de futebol já foram realizadas, inclusive com a presença do brasiliense Reinier Jesus, outras modalidades dão os passos iniciais no torneio neste fim de semana, com a torcida da Secretaria de Esporte e Lazer (SEL).

A judoca Ketleyn Quadros, escolhida como porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura, estreia no tatame nesta sexta-feira (23), a partir das 23h, pela categoria 63 kg, contra a hondurenha Cergia David. Primeira brasileira a conquistar uma medalha olímpica em esportes individuais, com o bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, Ketleyn não havia mais sido convocada desde então. “Me sinto muito feliz e extremamente agradecida dessa linda jornada”, celebrou a brasiliense nas redes sociais.

Sábado, a partir das 21h, é dia de novidade dupla nos Jogos Olímpicos. O skate entra em ação pela primeira vez na história do torneio. E vai ter o brasiliense Felipe Gustavo na disputa da categoria street. A partir do primeiro contato que teve com o equipamento, aos oito anos, em uma pista do Guará, ele foi se aperfeiçoando até transformar-se em atleta profissional, que contabiliza no currículo o terceiro lugar no Mundial da modalidade, em 2009. “Sonho realizado”, diz.

Na areia, o brasiliense Bruno Schmidt, ao lado de seu companheiro Evandro, faz a primeira partida contra os chilenos Esteban e Marco Grimalt neste sábado (24), às 23h. Após superar a luta contra a covid-19, o brasiliense inicia a saga para conquistar o segundo ouro consecutivo em Jogos Olímpicos.

Na edição do Rio 2016, o sobrinho do ex-jogador de basquete Oscar Schmidt subiu ao lugar mais alto do pódio ao lado de Alison, que também disputa o torneio acompanhado por Álvaro Filho.

 

Para fechar o fim de semana, no domingo (25), às 9h45, a seleção feminina de voleibol entra em campo e enfrenta a Coreia do Sul. A oposta Tandara Caixeta inicia a busca pela segunda medalha de ouro olímpica – a primeira foi conquistada na edição de Londres (Inglaterra), em 2012.

A brasiliense ostenta um dos ataques mais potentes do grupo com investidas que superam 105 km/h, sendo considerada uma das ponteiras mais completas da atualidade. Fora a seleção brasileira, atualmente, a atleta defende o time do Osasco, em São Paulo.

* Com informações da Secretaria de Esporte e Lazer

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário