Após Bolsonaro se manifestar contra o uso de máscaras, presidente de Portugal logo se manifesta sobre o uso de máscaras em Portugal




Mês passado o governo português cogitou a não obrigatoriedade do uso da máscara já para julho deste ano, no verão, estação do ano em que Portugal mais recebe turistas.

Coincidentemente, no dia em que o discurso de Bolsonaro ganhou destaque na imprensa brasileira e como sempre, também na portuguesa, o Presidente da República de Portugal promulgou esta sexta-feira o diploma que renova a obrigatoriedade do uso de máscara em espaços públicos, destacando a “permanência de um consenso alargado” na matéria, “muito importante” para o processo de desconfinamento “que se quer irreversível”.

“Sublinhando a permanência de um consenso alargado quanto ao uso de máscara em espaços públicos, o que pode ser muito importante para o processo, em curso, de gradual desconfinamento, que se quer irreversível, o Presidente da República promulgou o diploma da Assembleia da República que renova a imposição transitória da obrigatoriedade do uso de máscara nesses espaços públicos, prorrogando por 90 dias a vigência da Lei n.º 62-A/2020, de 27 de outubro”, lê-se na nota da Presidência.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário