Em consulta pública, 98,2% apoiam reforma da Praça do Relógio




Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

A proposta da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) para reformar os espaços da Praça do Relógio, em Taguatinga, foi apoiada por 98,2% dos participantes da consulta pública concluída pela pasta em 24 de fevereiro. Ao todo, 280 respostas e 123 sugestões foram enviadas pelo questionário online criado para coletar as opiniões da comunidade para a elaboração do projeto de requalificação e urbanização do local.

Sobre o que a população gostaria que fosse executado na praça, 89,9% responderam que a principal ação seria a instalação de mais postes de iluminação pública; 87,7% destacaram a necessidade de melhorar as calçadas com pavimentação acessível; 87,4% querem manter a arborização do local; 84,1% escolheram a instalação de sistemas de segurança como uma prioridade; e 80,5% apontaram a importância de mais bancos e lixeiras.

As respostas se alinharam com alguns dos problemas que a população mais identificou na Praça do Relógio. Do total, 89,9% dos participantes avaliaram as calçadas danificadas como a principal dificuldade no local. Em segundo lugar ficou o uso de substâncias ilícitas na praça, com 81,2%, seguido pela ausência de iluminação adequada, com 79,1%; mobiliário urbano danificado, com 76,5%,  e a quantidade de assaltos, 75,5%.

Em relação à proposta desenvolvida pela Seduh para redesenhar o piso da praça, com a criação de calçadas acessíveis de concreto, 94,2% dos participantes manifestaram aprovação ao projeto. Sobre a possibilidade de reformar e reativar o espelho d’água e o chafariz, 85,3% se mostraram favoráveis à iniciativa.

Das atividades que a população gostaria que fossem ofertadas na praça, 76,1% pedem feiras livres e atividades culturais, 66,3% querem food trucks, 62% reivindicam quiosques, 52,2% desejam mais obras de arte públicas, 47,5% apontaram espaços para ginástica ao ar livre e 45,7% solicitam parques infantis.

O perfil dos participantes foi em sua maioria feminino, representando 51,3% do total. Quanto à idade, 50,2% têm entre 36 e 60 anos, 39,8% entre 19 e 35 anos e 8,2% estão acima de 60 anos. A maior parte (62,9%) é de moradores de Taguatinga, dos quais 68% são pessoas que passam pela praça com frequência.

“Essa iniciativa busca melhorar a Praça do Relógio e vai se somar ao pacote de obras voltadas àquela área central de Taguatinga. Para isso, a consulta pública veio como forma de democratizar o debate, colhendo as opiniões da sociedade sobre o assunto”, explicou a secretária-executiva de Gestão do Território da Seduh, Janaína Vieira.

Cartão-postal

A Praça do Relógio, por onde circulam milhares de pessoas diariamente, é o principal cartão-postal de Taguatinga. Está localizada no centro da cidade, próximo à administração. Divide o espaço nobre com uma estação do metrô e um ponto de táxi.

O relógio mede 15 metros de altura e foi doado à cidade, em 1970, pela empresa Citizen Watch Co., tendo sido tombado como patrimônio cultural e artístico do Distrito Federal conforme o Decreto nº 11.823, de 18 de setembro de 1989.

Fonte: Agência Brasília

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário