Estudantes enviam pacote medidas ao Governo Federal e Congresso




Documento aponta soluções para empregabilidade dos jovens no país

Segundo o Relatório de Riscos Globais do Fórum Econômico Mundial 2021, a desilusão do jovem é um risco para o nosso planeta e sentiremos os impactos e reflexos desse desânimo nos próximos 2 anos. Além das crises sociais, econômicas e ambientais, a atual geração enfrenta desafios relacionados à educação e saúde mental.

Em paralelo a isso, vivemos a maior geração de jovens no Brasil, e com dados como estes as perspectivas para as juventudes não são positivas e com isso, corremos o risco de perder o potencial de uma geração capaz de mudar a realidade social e econômica do nosso país.

Nesse contexto, o Conjuve (Conselho Nacional da Juventude) envia ao Governo Federal e ao Congresso um pacote de medidas em prol das juventudes. A iniciativa visa servir como um documento propositivo, apontando soluções e caminhos para direcionar a mudança dessa realidade, criando mecanismos para ampliar e melhorar a empregabilidade dos jovens no país.

A expectativa é que haja uma agenda política para tratar do assunto, através da Comissão Especial pela Inclusão Produtiva, atualmente presidida pela Confederação Nacional de Empresas Juniores (Brasil Júnior). Também integram a Comissão, que conta com a parceria do Youth Voices, a Confederação Nacional de Jovens Empresários (Conaje) e o Enactus.

O Brasil conta, atualmente, com 47,2 milhões de jovens, representando 1/3 da população total. No entanto, apesar de sua capacidade produtiva, 54% estão desocupados, de acordo com dados do IPEA. Levantamento do IBGE aponta que ¼ da juventude está sem oportunidade de estudo ou trabalho. A situação é ainda mais crítica por falta de uma política de inclusão, que afeta as populações negra, indígenas, mulheres, pessoas com deficiência e LGBTQIA+.

Para o presidente do Conjuve, Marcus Barão, o contexto atual influencia no processo de desenvolvimento da população jovem e amplia a exposição à pobreza, ao subemprego e à precarização do trabalho. O Pacote de Medidas, segundo ele, é um compromisso para o enfrentamento desses desafios.

– A situação é grave. Precisamos urgentemente de ações concretas, com real capacidade de promover mudanças, atendendo as demandas emergenciais e apresentando perspectivas de futuro. Uma série de direitos têm sido violados ou negligenciados e para o enfrentamento da complexidade deste cenário será fundamental a construção de soluções que sejam baseadas em evidências, fruto de um amplo processo de diálogo social – afirma Barão.

Ana Beatriz, vice-presidente da Comissão de Inclusão da Conjuve e ex-presidente da Brasil Júnior, destaca que a iniciativa tem, entre suas atribuições, formular e propor diretrizes voltadas para as políticas públicas de juventude. Além da ampla agenda social, o desenvolvimento do documento mobilizou mais de 20 organizações da sociedade civil que trabalham pelas juventudes e a sua inclusão produtiva no mercado de trabalho.

O Pacote de Medidas conta com propostas dentro dos seguintes eixos: desafios do primeiro emprego, Educação: qualidade e evasão, Competências do futuro, Fomento ao empreendedorismo jovem, Acesso aos centros de trabalho: inclusão digital e mobilidade urbana, Diversidade no mercado de trabalho, Enfrentamento à desigualdade social, Participação social e da juventude, Reinserção de jovens em medidas socioeducativas, Trabalhos verdes: sustentabilidade e cadeias de valor rurais.

A proposta é uma realização do Conjuve, Brasil Júnior, Cieds, Youth Voice Brasil e Enactus. Contribuíram também em sua elaboração Aliança Empreendedora, Capitalismo Consciente, Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (CIEDS), Confederação Nacional dos Municípios, Em Movimento, Engajamundo, Escola de Gente, Eureca, Global Opportunity Youth Networking (GOYN), Instituto Anga, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Instituto Seci, Instituto Veredas, Itaú Educação e Trabalho, Organização Internacional do Trabalho (OIT), Politize, RenovaBR, União Nacional dos Estudantes (UNE), UNICEF.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário