Inscrições abertas para curso de boas práticas de fabricação




Foto: Agência Brasília

Produtores rurais que possuem pequenas agroindústrias ou que pretendem iniciar algum processamento de produto agropecuário e trabalhadores do segmento podem se inscrever no curso da Emater-DF de Boas Práticas de Fabricação na Pequena Agroindústria Rural (CBPF) até o dia 4 de março.

A capacitação vai ocorrer entre os dias 7 e 31 de março, com carga horária de 40 horas, e será ministrada na modalidade de Ensino à Distância (EAD). Clique aqui e faça sua inscrição.

O curso é gratuito e os interessados precisam ter computador ou smartphone com acesso à internet e e-mail do Google (Gmail). Por meio da qualificação, o produtor aprende questões importantes sobre a produção de alimentos com qualidade sanitária. O certificado do curso é um documento que os órgãos de inspeção sanitária exigem na hora de formalizar a fabricação do produto escolhido.

“Ao final da capacitação, o aluno estará apto a gerir com qualidade sanitária todo o processo de fabricação. É a Emater olhando para as necessidades do produtor rural do DF e para as oportunidades de desenvolvimento e de geração de emprego e renda”, destacou a presidente da empresa, Denise Fonseca.

Segundo a coordenadora de Agroindústria Rural da Gerência de Desenvolvimento Social (Gedes) da Emater-DF, Sônia Cascelli, o curso EAD foi a forma encontrada para não deixar de assistir os produtores rurais durante a pandemia.

“Nessa modalidade EAD, continuamos fazendo o nosso trabalho de orientação, de assistência técnica e de educação junto ao produtor rural com um tema muito importante, que é a qualidade sanitária dos alimentos fabricados ou produzidos por eles. Então, a Emater se atualizou nesse novo formato, que trouxe muita satisfação para o público rural”, afirmou.

Programação

A programação do curso atende as exigências das legislações de produção de alimentos com qualidade sanitária, sejam elas do DF, do Governo Federal, da Diretoria de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal e Animal (Dipova) e da Secretaria de Agricultura (Seagri).  O conteúdo programático abrange todo o trajeto da matéria-prima até o produto final.

Durante o curso, o aluno vai estudar temas voltados para a matéria-prima e o processamento e transformação em outro produto, comercialização, fluxograma de produção, estrutura física, higiene dos manipuladores e dos equipamentos, processo de fabricação, embalagem, armazenamento e expedição pelo transporte.

Sônia Cascelli observa ainda que o curso visa levar conhecimento ao produtor rural sobre os princípios básicos para produzir qualquer tipo de alimento com qualidade sanitária. “Não importa qual alimento, se é de origem animal, se é de origem vegetal. Se é leite, carne ou mel, se é queijo ou geleia”, explicou.

O curso está em sua quinta edição no formato online. A primeira turma foi em 2020 e as outras três em 2021. No total, 202 pessoas já foram certificadas. O curso foi desenvolvido pela Gerência de Desenvolvimento Social (Gedes) e pelo Centro de Formação Tecnológica e Desenvolvimento Profissional (Cefor).

A coordenadora pedagógica do Cefor, Deijane Araújo, afirma que “o perfil de participantes é na maioria de produtores e trabalhadores rurais, mas tem aumentado muito a participação do público não beneficiário, inclusive fora do DF”.

Fonte: Agência Brasília

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário