Novo reajuste no preço do diesel pode gerar nova paralisação de caminhoneiros




Gasoline and diesel distributor at the gas station. Gas pump nozzles. Petrol filling gun close-up at the gas station. Colorful Petrol pump filling nozzles. Fuel pump

Empresário do ramo de transportes, Gérlio Figueiredo, afirma que elevação de 2% nesta semana vai pesar ainda mais para o setor e pede auxílio ao governo

Os constantes aumentos no preço do óleo diesel pela Petrobras reacendem a preocupação para a possibilidade de uma nova greve de caminhoneiros no país. Pela 12ª vez neste ano, a empresa anunciou um novo reajuste no preço do diesel. Nesta semana, o valor do litro subiu 8,9%, o que significa um aumento de 2% nas bombas.

Com a subida, o preço por litro nas bombas chegou a R$4,801, aproximadamente, e quem trabalha diretamente no setor de transportes reclama da inconstância na taxação de preços e dos altos valores pagos na hora de abastecer.

“Não é de hoje que os preços estão só subindo e as condições para arcar com esses valores estão cada vez mais complicadas para o consumidor. Há uma reunião marcada pelos profissionais caminhoneiros para ver essa situação, e, se for o caso, retomar à greve”, alerta o empresário do ramo de transportadoras, Gérlio Figueiredo.

Para ele, as condições deveriam ser diferenciadas “Temos vários outros gastos além do diesel, sem contar que as transportadoras exercem uma função essencial para o país”, completa.

Sobre Gérlio Figueiredo

 

O empresário Gérlio Soares Figueiredo é o retrato da cena cultural baiana. O empreendedor já acumula vasta experiência em diferentes nichos de mercado, como transportes, construção civil, pecuária, factoring, indústria de vestuário e entretenimento.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário