Randolfe Rodrigues aconselha Carlos Bolsonaro sair do armário e viver “mais feliz”




Foto: Montagem/Redes Sociais/Fernando Frazão/Agência Brasil

Ao ser chamado de “gazela saltitante que fala fino” por Bolsonaro, o senador rebateu: “se começar a me chamar de miliciano eu vou ficar preocupado”

O vice-presidente da CPI do Genocídio, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), aconselhou o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em transmissão ao vivo para o canal “Salve”, do Porta dos Fundos, na plataforma Twitch, nesta quinta-feira (17), a “sair do armário” para viver “mais feliz”.

“O Carlos… vocês sabem o quanto esse moço me xinga, eu acho que ele tem uma paixão reprimida por mim. Eles tinham que se libertar, sair do armário, eles seriam mais felizes assim. Ele e o pai, [Jair] Bolsonaro, têm essa obsessão por nós”, ironizou Randolfe.

 

“Do ponto de vista pessoal eu poderia ter todos os motivos para chegar até ele, de tanto que ele tem obsessão por nós, mas nós não podemos trazer nossas questões figadais, nossos instintos primitivos para a investigação, porque contamina a investigação”, completou.

Bolsonaro chamou o parlamentar de “gazela saltitante e fala fino” em sua live semanal. Ao rebater, Randolfe citou a compra da mansão no valor de R$ 6 milhões em Brasília, feita pelo senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho do presidente.

“Gazela saltitante e fala fino… Pode continuar. Se começar a me chamar de miliciano eu vou ficar preocupado. Se alguém vier me acusar de ter comprado uma mansão de R$ 6 milhões em Brasília com salário de senador, aí o negócio vai pegar”, afirmou Randolfe, em transmissão ao vivo, na plataforma Twitch.

Com informações do UOL

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário