Wilson Witzel pode colocar Bolsonaro na cadeia




BRASILIA-O  ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC-RJ), fez do depoimento dele à CPI da Covid, uma bala de prata no coração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).  WW acusou o presidente de sabotar o combate à pandemia no Rio de Janeiro. Além de fornecer informações de que Bolsonaro impediu de todas as formas o então governador Witzel de combater a pandemia, o ex-governador indicou que o presidente pode estar envolvido na morte da vereadora Marielle Franco (PSOL).

Wilson Witzel afirmou que o governo federal criou uma narrativa com intenção de colocar os governos estaduais em “situação de fragilidade”, por causa dos efeitos econômicos após as medidas de isolamento social que os estados tiveram que tomar.

O vice-presidente da CPI da Covid no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que irá produzir um requerimento para que os senadores tenham uma sessão secreta com o ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, que deixou a comissão sem concluir seu depoimento.

Witzel afirmou que somente responderá a questões sobre o envolvimento de Jair Bolsonaro no assassinato de Marielle Franco sob sigilo.

Questionado pelo presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), sobre o porteiro do condomínio onde mora Jair Bolsonaro, que interfonou para a casa do então deputado federal para obter liberação da entrada de um dos envolvidos no crime, Witzel disse: “Há um fato que vou manter em sigilo e se houver a sessão em segredo de Justiça, vou revelar. Um fato gravíssimo. Envolve intervenção do governo federal em meu governo”.

Falando do porteiro para Aziz, o ex-governador disse: “só posso responder se a CPI adotar o procedimento do segredo de Justiça, porque os fatos são graves”.

 

Fonte: DF1 com  Agência Senado e Brasil 247

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário