16.5 C
Brasília
terça-feira, 27 fevereiro 2024 6:40

Refluxo tem cura? entenda o que é Hipocloridria

As mais lidas agora

PEC do estouro é protocolada no Senado

Após 13 dias de debate no Senado, a...

Temor a Deus

  "O temor do Senhor é o princípio da...

Casal é chicoteado e espancado por apoiar Bolsonaro

Tribunal do Crime cobra casal que fez campanha...

Mistério de Deus

QUERIDA MOCIDADE, QUERIDOS PASTORES: Assim diz a Santa...

Hipocloridria: conheça as causas e sintomas

Sua principal causa está ligada à gastrite e a outros quadros de saúde. Estamos falando da hipocloridria, uma condição caracterizada pela diminuição da produção de ácido clorídrico (HCI) no estômago, gerando inchaço, náusea, arrotos, peso no estômago e desconforto abdominal.

Se não for tratada, a doença ou condição pode levar à desnutrição, anemia, deficiências em micronutrientes e em casos mais graves, levar ao desenvolvimento de câncer gástrico.

O ácido clorídrico é responsável por uma série de funções no funcionamento do estômago, sendo a principal delas, a digestão. Quando a produção desse ácido encontra-se abaixo dos níveis normais, acontece a hipocloridria. Também há casos onde não há nenhuma produção de ácido clorídrico, caracterizado como acloridria.

Predominante em pacientes com mais de 65 anos, a doença precisa ser tratada logo após o diagnóstico do médico, a fim de evitar maiores complicações.

Conheça 5 causas da hipocloridria

As causas para a hipocloridria são diversas. Na maioria dos casos, a doença é originada por uma gastrite crônica, com a presença da bactéria H.Pylori. Essa bactéria resulta na diminuição da produção de ácido clorídrico, aumentando o risco do aparecimento de úlceras e demais doenças gástricas.

Além disso, também há outras causas para a doença. São elas:

1- Estresse e ansiedade

Com altos níveis de estresse, as células podem parar ou diminuir a produção de ácido clorídrico.

2- Envelhecimento

Com o passar dos anos, as células vão perdendo algumas funções devido à deterioração da idade, prejudicando a produção de ácido clorídrico.

3- Distúrbios da Hipófise

Quando esse órgão funciona de maneira incorreta, pode haver alterações no funcionamento da gastrina e histaminas, duas substâncias responsáveis pela secreção do ácido clorídrico.

4- Uso excessivo de antiácidos

Usar antiácidos em excesso, pode fazer com que a produção de ácido no estômago seja comprometida.

5- Cirurgias gástricas

Determinados tipos de  cirurgias podem prejudicar a produção de ácido no estômago.

Sintomas

Os sintomas da hipocloridria se manifestam quando o PH do estômago está mais alto do que o normal, devido à falta de ácido clorídrico. Os principais sintomas são:

  • Inchaço;
  • Desconforto abdominal;
  • Náuseas;
  • Arrotos;
  • Diarreia;
  • Má digestão;
  • Aumento da produção de gases intestinais;
  • Colesterol alto.

Diagnóstico

hipocloridria pode ser facilmente confundida com outras doenças gástricas, por conta dos sintomas serem semelhantes a outras patologias.

O diagnóstico é feito por um médico gastroenterologista a partir da avaliação dos sintomas e da história clínica do paciente.

Alguns exames de endoscopia e medição de PH do estômago podem ser indicados pelo médico. Através deles também é possível detectar a causa da hipocloridria e indicar o tratamento mais adequado.

Além disso, em alguns casos, pode ser solicitado um exame de hemograma para analisar a presença de anemia ou demais deficiências nutricionais.

Tratamento

O tratamento irá variar de acordo com a causa da doença. Se a doença for causada pela presença da bactéria H. Pylori, por exemplo, pode ser receitado o uso de antibióticos ou de suplementos específicos para aumentar a acidez do estômago.

Mastigar devagar e se alimentar de maneira equilibrada são fatores que também contribuem no tratamento da doença. Além disso, é fundamental cuidar da saúde mental e tentar relaxar, já que a ansiedade e o estresse podem dificultar a produção de ácido clorídrico.

Como diferenciar a hipocloridria da gastrite?

Embora ambas apresentem sintomas muito parecidos, são duas doenças diferentes. A gastrite está relacionada a qualquer inflamação desenvolvida no estômago. Já a hipocloridria, é um quadro estomacal definido pela diminuição na produção de ácido clorídrico.

Como já citado anteriormente, a relação entre ambas é que a hipocloridria pode ser originada devido a um quadro de gastrite crônica.

A baixa produção de ácido clorídrico pode ser a causa de vários desconfortos gástricos. Portanto, é importante realizar exames para que se possa obter um diagnóstico, e consequentemente, um tratamento adequado.

Quando necessário, visite um nutricionista. É o profissional mais indicado para te auxiliar com uma alimentação saudável, a fim de reduzir os sintomas gástricos causados pelo hipocloridria.

Gostou desse conteúdo? Deixe seu comentário aqui embaixo.

Precisa de ajuda? Conte comigo! Sou nutricionista, pesquisadora e apaixonada por saúde e gastronomia saudável. Acredito que cada indivíduo é único e que sua nutrição está relacionada à própria personalidade e à forma como cada um lida com a própria vida.

será que você tem hipocloridria e não sabe?

O que é hipocloridria? É a falta de secreção ácida no estômago. Temos também a Hipercloridria que é o excesso de secreção ácida no estômago. Nosso estômago deve ser ácido, para que ocorra a digestão de proteínas e ativação da vitamina B12.

Um ponto muito importante é saber diferenciar, através da análise de sinais e sintomas, qual é a alteração gástrica apresentada pelo paciente.

Temos quatro perguntas indispensáveis para descobrir alterações. São elas:

Você apresenta fermentação no estomago e gases frequentemente?

Você apresenta frequentemente azia ou queimação?

Você apresenta dor ou desconforto após a refeição ou quando não come nada?

Como é sua digestão para refeições muito proteicas, quando você come carne vermelha, ela causa estufamento?

Se você apresentar todos esses sintomas, provavelmente está com hipocloridria. Além disso, para absorvermos vitaminas e minerais, precisamos de um PH adequado, ou seja, ácido no estômago. Mudar os hábitos alimentares para uma alimentação orgânica é o primeiro passo para uma microbiota intestinal mais saudável.

Queimação no estômago e o refluxo também estão relacionados com a hipocloridria?

Sim, podem estar relacionados com a diminuição na produção do ácido clorídrico. Na falta do ácido, a digestão dos alimentos é prejudicada, facilitando assim o refluxo do alimento não digerido, gerando a sensação de queimação. Os principais sintomas são desconforto abdominal, arrotos excessivos, queimação, flatulência imediatamente após a refeição, indigestão, diarréia ou intestino preso, sensação de barriga cheia após comer moderadamente, língua branca e mau hálito.

Como diferenciar Hipercloridria de Hipocloridria?

É bem simples, faça o teste do limão. O limão é uma fruta ácida.

Quando você come o limão você passa mal?

Sente uma queimação no estômago?

Se você sentir queimação e desconforto é hipercloridria. Agora, se você já possui estes sintomas de azia e queimação, e vier a consumir limão, e a azia e a queimação passarem, é porque você possui hipocloridria.

Ou seja, se houver pouco ácido no estômago, você sentira azia e queimação. Neste caso, o limão suprirá esta falta de ácido, e acabará com a azia e a queimação. Ao contrário, se houver muito ácido no estômago, e vier a consumir limão, a acidez do limão irá somar-se a acidez do estômago, desencadeando um azia e queimação maior do que era sentido antes de ingerir o limão.

O que pode causar uma hipocloridria?

Uso de medicamentos contínuos de omeprazol e antiácidos, consumo abusivo de cafés e chocolates, consumo exagerado de gorduras trans, excesso de embutidos, excesso de bebidas alcoólicas e refrigerantes, excesso de leite e soja. O exagero de açúcar e doces em geral enfraquecem muito nossa capacidade digestiva, prejudicando a liberação de enzimas digestivas, favorecendo o quadro.

Como tratar a hipocloridria? Evite tomar líquidos durante as refeições, mastigue devagar os alimentos. Lembre-se: a digestão inicia na boca. Consuma carne bovina somente duas vezes por semana. Controle seu estresse e sua ansiedade. Meia hora depois das principais refeições tome chás digestivos como hortelã, funcho ou alecrim. Estas ervas aumentam a secreção ácida no estômago e possuem ação anti-inflamatória. Outro fitoterápico é a espinheira santa, essa erva possui substâncias que ajudam a proteger a mucosa do estômago. A Couve, em especial, contém uma substância chamada de inositol que diminui a irritação e promove a regeneração da mucosa gástrica.

Dica: consuma o suco verde três vezes por semana.

Outro alimento interessante é o limão como foi citado anteriormente faça o teste e veja se ele faz bem para a sua saúde.

Um fitoterápico que eu gosto muito de usar é o Aloe Vera, popularmente chamada de babosa, essa planta possui ação anti-inflamatória e aproximadamente 75 nutrientes que auxiliam na recuperação da mucosa gástrica, tem ação calmante e cicatrizante.

Os probióticos e os Kefir são suplementos que ajudam na recuperação do muco na parte gastrointestinal, mas sozinhos não têm um bom resultado. Devemos usar o ácido clorídrico e começar o tratamento pelo estômago.

Para tratar a hipocloridria é necessário recuperar a mucosa gástrica e o muco.

O tratamento para pouco muco é com L glutamina, aloe vera, vitaminas do complexo B, vitamina A, zinco e outros.

Sabe aquele paciente com osteoporose? Para absorver os micronutrientes como o cálcio, magnésio, vitamina K, manganês, silício e outros temos que tratar essa microbiota intestinal para absorver todos esses micronutrientes.

Tem contra indicação para uso do ácido clorídrico? A contra indicação para usar o acido clorídrico é ter hipercloridria.

FICA A DICA: VAMOS DAR ATENÇÃO À NOSSA MICROBIOTA INTESTINAL, ELA É MUITO IMPORTANTE. UMA ALIMENTAÇÃO EQUILIBRADA E UMA ÓTIMA ABSORÇÃO E DIGESTÃO DOS ALIMENTOS GARANTEM O METABOLISMO EQUILIBRADO.