19.5 C
Brasília
segunda-feira, 27 maio 2024 21:46

Contagem de mortos no terremoto na Turquia e na Síria passa de 11 mil

As mais lidas agora

PEC do estouro é protocolada no Senado

Após 13 dias de debate no Senado, a...

Temor a Deus

  "O temor do Senhor é o princípio da...

Casal é chicoteado e espancado por apoiar Bolsonaro

Tribunal do Crime cobra casal que fez campanha...

Mistério de Deus

QUERIDA MOCIDADE, QUERIDOS PASTORES: Assim diz a Santa...

Imagens de satélite mostram destruição causada por terremoto na Turquia

Nos registros, é possível as cidades de Islahiye e Nurdagi, ambas da província de Gaziantep, no sudeste turco, perto da fronteira com a Síria.

Centro de Nurdagi, na Turquia. (Foto: Maxar Technology/Handout via REUTERS)
Centro de Nurdagi, na Turquia. (Foto: Maxar Technology/Handout via REUTERS)

Erdogan visita área afetada e admite falhas na resposta do governo

O presidente da Turquia, Recep Tayip Erdogan, admitiu nesta quarta-feira (8) que seu governo demorou para agir logo após o terremoto, na madrugada de segunda-feira (8).

Em visita à cidade de Kahramanmaras, onde ocorreu o epicentro do tremor, no centro-sul do país, ele alegou “problemas em estradas e aeroportos” para justificar o atraso na chegada de socorro à região.

Desde terça-feira, milhares de moradores locais têm reclamado nas redes sociais sobre a demora do governo.

Mortes passam de 11 mil

Com o avanço dos trabalhos de buscas, os balanços com o número de mortos também têm aumentado.

A contagem oficial dos dois países soma agora mais de 11.104 vítimas, somando as pessoas mortas na Turquia e na Síria.

Em território turco, já são 8.574 mortos, segundo anunciou agora há pouco o presidente do país, Recep Tayip Erdogan. Já na Síria, o número de vítimas aumentou para 2.530.

Os dois países contabilizam também mais de 50 mil feridos por conta do terremoto. Leia mais na nossa reportagem completa do dia.

O número de vítimas pelo terremoto já passa de 9 mil, somando os mortos na Turquia e na Síria.

Nesta quarta-feira (8), a Turquia informou que o balanço das mortes no país subiu para 7.108. Na Síria, são mais de 2.000 vítimas registradas.

No terceiro dia após o tremor, o pior na região há 80 anos, milhares de pessoas seguem debaixo dos escombros, e equipes de resgate enfrentam temperaturas negativas e horas de trabalho sem parar para tentar encontrar sobreviventes.

Bom dia. Retomamos nossa cobertura sobre o terremoto que devastou a região central da Turquia e o norte da Síria.

Ajuda humanitária é urgente no noroeste da Síria, onde guerra dificulta socorro após terremoto

“O que nos preocupa nesse momento é como faremos a resposta nessa região da Síria, onde atualmente já existem mais de 4 milhões de pessoas que dependem de assistência humanitária permanente”, diz em entrevista à RFI a brasileira Fernanda Baumhardt, que atua como humanitária no Conselho Norueguês para Refugiados (NORCAP).

Número de mortos chega a mais de 7,8 mil

O número de mortos no terremoto chegou a mais de 7.800 pessoas na terça-feira. As equipes de resgate trabalham contra o tempo e enfrentam um inverno rigoroso para retirar sobreviventes dos escombros.

Os números de mortos já contabilizados por país são os seguintes:

  • Turquia: 5,9 mil
  • Síria: 1,9 mil

Um funcionário da ONU disse que milhares de crianças podem ter morrido.

Há 20 horas

‘Achei que o prédio ia cair e liguei para me despedir do meu marido’, diz brasileira que vivenciou terremoto na Turquia

Segundo Bárbara Veber, todo o país está de luto depois da tragédia que já matou 5 mil pessoas; marido da brasileira é jogador de futebol que começou a carreira no Juventude e hoje atua no Kayserispor.

“Depois do segundo tremor uma vizinha me ligou dizendo que o apartamento dela estava com rachaduras na parede. Decidimos então sair do prédio”, diz Bárbara.

- Publicidade -spot_img

Você vai gostar disso