20.5 C
Brasília
segunda-feira, 4 março 2024 8:41

Passageiro filma momentos finais de avião que caiu no Nepal

As mais lidas agora

PEC do estouro é protocolada no Senado

Após 13 dias de debate no Senado, a...

Temor a Deus

  "O temor do Senhor é o princípio da...

Casal é chicoteado e espancado por apoiar Bolsonaro

Tribunal do Crime cobra casal que fez campanha...

Mistério de Deus

QUERIDA MOCIDADE, QUERIDOS PASTORES: Assim diz a Santa...

Os momentos finais dos passageiros do avião que caiu no Nepal neste domingo (15) foram registrados em uma live de um dos passageiros, uma das pelo menos 67 pessoas que morreram no acidente. O vídeo, que correu pela internet e já foi transmitido por emissoras de TV internacionais, registra um momento aparentemente tranquilo dos passageiros e a paisagem do lado de fora da janela, até que a câmera é tomada pelo fogo, iniciado de repente. Assista (atenção, as imagens são fortes):

O avião, um ATR 72 da companhia aérea Yeti Airlines, que saía da capital Kathmandu, caiu pouco antes das 11h00 locais (02h15 de Brasília), perto de Pokhara, centro do Nepal, onde deveria pousar. “Trinta e um (corpos) foram levados para hospitais”, disse à reportagem o policial AK Chhetri, acrescentando que outros 36 foram encontrados no barranco onde a aeronave caiu.  A cidade de Pokhara é um importante ponto de passagem para peregrinos e montanhistas estrangeiros.

Havia 68 passageiros no voo, uma delas uma argentina, e quatro tripulantes, segundo a Yeti Airlines. A argentina foi identificada como Jannet Sandra Palavecino, de 58 anos, mãe de duas filhas e natural da província de Neuquén, segundo o jornal La Nación, de seu país. Outros 14 estrangeiros também estavam a bordo: cinco cidadãos indianos, quatro russos, dois coreanos, um australiano, um irlandês e um francês, disse o porta-voz da companhia aérea, Sudarshan Bardaula. 

A fuselagem queimada do avião estava em um barranco profundo entre o antigo aeroporto de Pokhara, criado em 1958, e o novo terminal internacional desta cidade, inaugurado em 1º de janeiro. Após o acidente, os socorristas tentaram apagar o fogo entre os restos do avião, movido por dois motores turboélice. À noite, no meio da vegetação carbonizada, soldados retiraram corpos dos destroços da aeronave com a ajuda de cordas e macas, verificou a reportagem. 

- Publicidade -spot_img

Você vai gostar disso